A PREÇO DE OURO

Consumidor pode pagar R$ 30,00 no pacote de arroz nos próximos dias

Falta do grão e aumento da procura beneficiam o produtor, mas encarecem a alimentação das famílias; pacote de 5 kg pode chegar a R$ 30
2 de setembro de 2020
arroz

O consumidor que for às compras nos próximos dias poderá se assustar com o preço do arroz nos supermercados de Mato Grosso. O pacote de 5 quilos (kg) já está sendo comercializado por R$ 20 a unidade em alguns estabelecimentos e a previsão é que esse valor possa chegar à casa dos R$ 30 até dezembro. Na outra ponta, o encarecimento do produto tem beneficiado os produtores, com aumento da margem de lucro.

A crise sanitária deste ano desequilibrou a cadeia do arroz no país. As mudanças repentinas do cenário econômico e social fizeram com que o mercado não conseguisse suprir o aumento da demanda pelo produto. Com as famílias ficando mais tempo em casa, cresceu o consumo interno de arroz no Brasil e também em outros países. Isso fez com que o preço do pacote de 5 kg saísse dos habituais R$ 13 a R$ 14 para chegar a R$ 20, ou mais.

E há razões para que o arroz possa alcançar o patamar de R$ 30 pelo pacote de 5 kg. A lista é grande: além do maior consumo, há influências da alta do dólar, entressafra do grão, redução da produção nacional e crescimento das exportações.

“O preço do arroz no segundo semestre é mais caro mesmo, por causa da entressafra. Porém, a pandemia de covid-19 mexeu muito com o consumo, que aumentou. Isso no mesmo ano em que houve um enxugamento da safra. Estamos também com o dólar em alta, que provoca dois efeitos: primeiro, é que ele barra a entrada do arroz importado e outro é que ele, como regulador de preço do principal mercado do país, Santa Catarina, perde o efeito dessa função”, explica Rodrigo dos Santos Mendonça, Sindicato da Indústria do Arroz em Mato Grosso (Sindarroz-MT).

A agitação do mercado fez com que a saca de 60 kg de arroz iniciasse esta semana custando R$ 125 na praça de Várzea Grande, e R$ 170 na de Santa Catarina. Apesar do melhor preço pago ao produtor, os aumentos que os agricultores estão enfrentando nos insumos desde abril ainda não foram totalmente repassados ao consumidor.

Enquanto a entrada do arroz importado ficou salgada para as indústrias, a saída do arroz nacional aumentou. O volume de exportações do grão até o mês de agosto ficou acima da média e chegou a 1,5 milhão de tonelada (t), segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Essa quantia é praticamente a mesma que é comercializada ao longo de um ano pelo Brasil, em períodos normais.

“Estamos nos estoques finais e trabalhamos com média para ainda não repassarmos toda essa alta. Hoje, se fôssemos repassar, o pacote de 5 kg poderia chegar a R$ 30”, estima Rodrigo.

Para dar conta de tanta procura, alguns produtores já estão pensando em antecipar a semeadura do arroz. “Tem produtor querendo plantar mais cedo para que até o final de dezembro tenha produto disponível, ao invés de só em janeiro ou fevereiro”, reforça Rodrigo.

A partir do ano que vem, a previsão é que os preços do arroz se estabilizem. “O preço hoje chegou a um recorde, o dobro do que pagávamos, que era uns R$ 60 a saca. Vejo que temos um problema temporário hoje, mas o cenário geral para o ano que vem é positivo. Teremos mais produção interna e não precisaremos trazer arroz de outros estados, como o Rio Grande do Sul”, estima o presidente do Sindarroz.

Expectativa para a safra

Conforme dados da Conab, Mato Grosso terá uma produção de 402 mil toneladas (t) de arroz na safra 2019/20, 3,8% a mais do que os 387 mil (t) a safra passada. Já a produção nacional é estimada em 11,2 milhões (t), representando aumento de 6,6% em relação à safra passada.

“Mais especificamente sobre o incremento esperado de consumo, com o prolongamento da crise do Covid-19 (sic) e o isolamento social de parte da população, identifica-se um aumento na alimentação em domicílio, o que seguramente refletirá em aumento de consumo de arroz”, justifica a Conab em seu último boletim de grãos, de agosto.

Por EstadãoMT
Fotos: Reprodução

Deixe uma resposta

Curtir isso:

%d blogueiros gostam disto: