“Crime eleitoral em Leverger”: Francieli repudia “Fakenews” e aciona a Polícia

14 de novembro de 2020
fake

Coincidência ou não, em todas a apresentações de resultados de pesquisas, quando as candidatas Francieli e Giseli, da coligação “Compromisso com Leverger” aparecem na frente, são vítimas de algum tipo de ataque, porém, desta vez, a ação tem a característica de um crime eleitoral – “Fakenews”.

“Fakenews – Notícias falsas”.

Dos crimes eleitorais causados por Fakenews :

 – Art. 297 do Código Eleitoral (Lei Federal nº 4.737/1965)

A “fake news” a depender do contexto empregado pode impedir ou embaraçar o exercício do sufrágio, atraindo a incidência do art. 297[13], do Código Eleitoral.

– Art. 350 do Código Eleitoral (Lei Federal nº 4.737/1965)

De maneira subsidiária poderemos ter a tipificação do art. 350[14] do Código Eleitoral (Lei Federal nº 4.737/1965), a depender de como a ‘fake news’ for propalada com eventual ‘documento forjado’ ou ‘criado’.

Mesmo sofrendo constantes ataques, Francieli e Giseli seguiram trabalhando em uma campanha propositiva, levando para as pessoas propostas, ouvindo as demandas e apresentando projetos, assim conseguiram se despontar na preferência popular, que resultou na primeira colocação das pesquisas.

Foto: Júlio Rocha
Foto: Júlio Rocha

Diante dos fatos, com a aproximação do dia da eleição, Francilei relatou o último absurdo que cometeram com seu nome, com objetivo de influenciar e denegrir a sua imagem.

“Usar meu nome, para falar das pessoas com falta de respeito e agressões, utilizando de palavras de baixo calão, foi abusivo, desprovido de conhecimento e criminoso, já que jamais tratei quem quer seja de tal forma, respeito, bom senso e profissionalismo, cabe em qualquer lugar”, indignada ressaltou Francieli.

Com as copias das fraudes (Fakenews), que algumas pessoas estão espalhando via redes socias, Francieli foi até a Polícia para registrar um Boletim de Ocorrência, para que os órgãos competentes, tomem as devidas providências, e punem os responsáveis.

Nota de esclarecimento:

A coligação “Compromisso com Leverger”, que tem Francieli Magalhães como candidata a prefeita, está sendo vítima de montagens e trucagens com o seu número de celular e imagem do WhatsApp.

Informamos que os prints que estão sendo espalhados não são do telefone celular da Francieli.

Essas tentativas de macular a imagem da candidata, só nos fazem crer que estamos no caminho certo.

Assim, diante do ocorrido, informarmos que já comunicamos as autoridades competentes, registrando Boletim de Ocorrência que segue abaixo, requerendo que se apure os responsáveis.

Pedimos que desconsiderem os prints, ao passo que repudiamos essa atitude baixa de tentar incriminar a candidata.

Atenciosamente,

Coligação Compromisso com Leverger.

Por Da Redação
Fotos: Portaldacultura

Deixe uma resposta

Curtir isso:

%d blogueiros gostam disto: