Primeira-dama protesta e pede “cabeça” de presidente do Indea: “Não podemos nos calar”

Sem BANNER

14 de janeiro de 2021
6c06721ca78f3839413693bcfc7d119a

Virgínia publicou texto na manhã desta quarta-feira (13), em seu perfil no Instagram que repudia ato de violência contra mulher.

A primeira-dama Virgínia Mendes protestou nas redes sociais, nesta quarta-feira (13), e pediu a exoneração do presidente do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea), Marcos Catão, acusado de assediar sexualmente uma servidora do órgão de 19 anos.

Na publicação, Virgínia postou uma foto em que aparece com um “X” desenhado na mão que identifica mulheres vítimas de violência.

Na legenda, ela afirma que assim que tomou conhecimento em relação à denúncia de assédio sexual sofrido por uma jovem, ex-servidora do Indea, por parte do presidente do órgão, imediatamente solicitou ao governador Mauro Mendes que tomasse providências em relação ao caso.

“É lamentável que este tipo de caso de violência ainda ocorra nos ambientes de trabalho e não podemos nos calar, por isso me solidarizo com a vítima e reforço que durante a nossa gestão este tipo de situação não será́ tolerada e nem ficará impune. Repudio todo e qualquer tipo de violência, principalmente em decorrência de gênero, e não compactuaremos com qualquer forma de assédio ou abuso contra à mulher”, escreveu.

Em seguida, Virgínia disse reafirmar seu “compromisso na defesa dos direitos das mulheres e ressalto que este tipo de conduta não condiz com os valores e princípios da nossa gestão, que preza pelo respeito às mulheres”. 

É preciso que todos atuem no combate à violência contra mulher. Só́ assim teremos uma sociedade onde homens e mulheres serão realmente tratados de forma igual e com direitos respeitados. Vamos dar um basta na violência de gênero”, destacou pedido respeito às mulheres.

Exoneração

Como antecipou o RepórterMT o Governo do Estado decidiu exonerar o presidente do Indea, Marcos Catão, devido à denúncia de assédio sexual contra uma ex-servidora de 19 anos.

O caso ocorreu em novembro passado, mas só veio à tona na última segunda-feira (11).

Entenda o caso 

Uma funcionária do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), 19 anos, acusa o presidente da autarquia de assédio sexual durante o trabalho. Ela pediu exoneração do posto.

Um boletim de ocorrência foi registrado na Polícia Civil.

A ex-funcionária relatou que trabalhava no local há 7 meses e que, há 4 estava sob a chefia de Marcos Catão. Ela disse que precisava entrar no gabinete com frequência para servir café e mostrar o cardápio para o chefe e pedir refeições.

No dia 12 de novembro de 2020, quando foi levar uma jarra de água no gabinete, a jovem conta que foi assediada sexualmente.

Consta no boletim de ocorrência que o chefe disse que não precisava ficar de máscara e, em seguida, começou a “massagear o pênis” enquanto olhava para ela. A servidora disse ter ficado em choque.

Depois do assédio, ela foi encorajada pelo pai a pedir demissão e registrar o boletim de ocorrência.

Outro lado

Nesta terça-feira, Marcos Catão afirmou que não praticou nenhum ato de assédio ou importunação sexual contra uma ex-servidora da autarquia. A afirmação está em uma nota de esclarecimento feita por seu advogado Francisco Faiad.

“O Sr. Marcos tem a consciência tranquila de que nunca cometera qualquer ato de assédio ou importunação sexual contra quem quer que seja, tendo agido sempre com respeito e hombridade nas relações com os demais servidores do Indea, do qual é servidor de carreira”, diz trecho da nota de esclarecimento.

Ainda segundo o posicionamento, em dezembro, Catão solicitou cópia integral da denúncia, mas até agora não obteve resposta.

Ele aguarda “sereno ser convocado para depor na Delegacia da Mulher e ter os fatos investigados na seara criminal e administrativa, quando sua inocência será declarada”.

Leia a nota na íntegra:

“NOTA DE ESCLARECIMENTO 

Na qualidade de advogado do Sr. Marcos Catão Dornelas Vilaça, presidente do INDEA/MT, venho esclarecer que o mesmo foi surpreendido com a denúncia formulada pela Srta. Fany Cristina Batista Almeida em 16 de novembro de 2020 junto à Delegacia da Mulher de Cuiabá, quando também pedira exoneração do cargo de Assessoria Técnica III do INDEA, alegando importunação sexual.  

No início de dezembro Marcos requereu junto a Delegacia da Mulher cópia integral da denúncia e o direito de ser ouvido, não tendo obtido nenhuma resposta até a presente data. 

Também requereu junto à Corregedoria que fosse aberto um procedimento para investigar a denúncia da Assessora, não tendo obtido nenhuma resposta até hoje. 

O Sr. Marcos tem a consciência tranquila de que nunca cometera qualquer ato de assédio ou importunação sexual contra quem quer que seja, tendo agido sempre com respeito e hombridade nas relações com os demais servidores do INDEA, do qual é servidor de carreira.

Aguarda sereno ser convocado para depor na Delegacia da Mulher e ter os fatos investigados na seara criminal e administrativa, quando sua inocência será declarada. 

Cuiabá, 11 de janeiro de 2021.

FRANCISCO ANIS FAIAD”

Fonte: Reporter MT

travoltajunior


Deixe uma resposta

Curtir isso:

%d blogueiros gostam disto: