Versamune: vacina brasileira pode gerar memória imunológica de até 12 anos

Sem BANNER

13 de abril de 20214min
aplicando

De acordo com pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), os resultados dos estudos não clínicos da vacina brasileira Versamune podem demonstrar que o imunizante gera uma memória imunológica de até 12 anos, isso indicaria que o corpo poderia reconhecer o Coronavírus durante esse tempo, iniciando uma resposta do organismo contra o vírus. As informações foram divulgadas no jornal da USP, que desenvolve a vacina.

Para os cientistas envolvidos, as conclusões dos estudos mostram que o imunizante é seguro para os animais testados e tem a capacidade de, não só impedir a entrada do vírus para dentro das células, como também matar as células já infectadas.

A Versamune-CoV-2FC é um imunizante brasileiro sendo desenvolvido pela Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto, junto com a empresa de biotecnologia Farmacore e em parceria com a PDS Biotechnology Corporation.

A vacina totalmente brasileira é uma das principais apostas do governo federal no combate à pandemia de covid-19. Parte do apoio e financiamento é feito pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

O ministro Marcos Pontes informou que o ministério investiu em 15 protocolos diferentes de vacinas no Brasil, e que a Versamune, mais outras duas, já realizaram os testes com animais.

A negociação junto à Anvisa teve início em novembro de 2020, mas a documentação só foi encaminhada no mês passado. Agora, os desenvolvedores aguardam a aprovação para o imunizante ser testado em humanos.

No dia 27 de março, a Anvisa solicitou informações sobre a qualidade dos insumos e do ensaio pré-clínico. As exigências não suspendem a análise dos outros dados apresentados.

Em nota divulgada no site da Farmacore, a CEO Helena Faccioli disse que está entusiasmada “em ter o apoio da Anvisa para continuar os estudos que permitam desenvolver um tratamento no Brasil na luta contra esta pandemia”.

Já o CEO da PDS Biotech, Frank Bedu-Addo, disse que os “resultados pré-clínicos demonstraram potencial para induzir uma resposta imune ampla e robusta”. 

A previsão é que todos os estudos clínicos devam ser finalizados entre nove meses ou um ano. A vacina já pode estar disponível para a população brasileira em 2022.

De acordo com o governo federal, o imunizante já obteve resultados sobre toxicidade e imunogenicidade, que “demonstram qualidade e competitividade para ser um sucesso nacional e global no controle” da doença.

A vacina associa uma proteína recombinante do SARS-CoV-2 com uma tecnologia que ativa o sistema imunológico. Dentro do organismo, a expectativa é que a combinação ative a criação de anticorpos. Assim, seria garantido que o coronavírus não se instalasse nas células e não se espalhasse pelo corpo.

Por Correio Braziliense
Fotos: Reproduão

Deixe uma resposta


Sobre Nós

CNPJ: 35.582.297/0001-25

Jornalista Responsável

José Maria do nascimento

DRT: 0002633/MT


Contato

Ligue para nós



Mais Lidas

5 de maio de 2021

Versamune: vacina brasileira pode gerar memória imunológica de até 12 anos

5 de maio de 2021

Versamune: vacina brasileira pode gerar memória imunológica de até 12 anos

5 de maio de 2021

Versamune: vacina brasileira pode gerar memória imunológica de até 12 anos