Oposição de Emanuel à Copa América e cobrança por vacinas repercutem no exterior

7 de junho de 20214min
1f13f99b6f76435e4eb62245c57ce294.jpg

O descontentamento do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) com a realização de cinco partidas de futebol na Arena Pantanal, em Cuiabá, durante a realização da Copa América no Brasil, e o fato de exigir 670 mil doses extras de vacinas como compensação foram manchetes na mídia internacional.

Emanuel conversou com os jornais Télam e Olé, ambos da Argentina – país que recusou a competição devido ao agravamento da pandemia na região.

Ao Olé, o prefeito ressaltou que esse não é o momento mais apropriado para realização de um evento desse porte, pois, não tem como prever a mobilização das pessoas que circularão pela cidade durante os jogos, mesmo sabendo que as partidas de futebol acontecerão sem público.

“Um evento desse porte em Cuiabá não é aconselhável porque não sabemos como será a mobilização do povo para a Copa América, além do fato de que as partidas serão sem público. Estamos em um momento difícil, discutindo questões de saúde da população”, garantiu.

Outro ponto destacado é o fato de que as Unidades de Terapia Intensiva (UTI) dos hospitais da Capital estarem com cerca de 90% ocupadas por isso Emanuel solicita que o Governo Federal encaminhe mais de 600 mil vacinas para acelerar a vacinação e proteger a população.

Já que o Governo de Mato Grosso, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e o Governo Nacional escolheram Cuiabá tão rápido como sede dos jogos da Copa América, queremos uma indenização”, exigiu Emanuel.

O Télam destacou que embora Emanuel comemore a chegada do astro do futebol internacional Lionel Messi, da seleção Argentina, na Capital mato-grossense, o prefeito é um dos poucos contra a realização dos jogos em Cuiabá devido ao período de pandemia e o possível colapso que o evento pode causar à Saúde do município.

“Ter Messi é um sonho, mas estamos em um pesadelo”, disse Emanuel à reportagem.

O prefeito ressaltou que a população cuiabana é muito hospitaleira e apaixonada por futebol. Embora acredite que a maioria dos cuiabanos não queiram que os jogos aconteçam, Emanuel tem certeza que quando os jogos começarem todos estarão envolvidos.

Como a Arena Pantanal é administrada pelo Governo Estadual, o prefeito não tem como vetar os jogos na cidade.

“Da noite para o dia fomos surpreendidos pela Copa América, justamente quando todo nossa atenção está voltada para os cuidados médicos e a vacinação. E ainda assim, não tivemos o direito de vetar o evento na nossa Capital”, falou à reportagem.

As duas reportagens destacaram ainda que o Centro de Triagem da covid que funciona nas dependências da Arena Pantanal deixará de funcionar nos dias de jogos e, consequentemente, deixar de atender cidadãos de todo Mato Grosso.

“Soube que a Argentina recusou a realizar a Copa América para cuidar da população. Eu apenas estou me colocando em defesa de Cuiabá”, finalizou Emanuel.

Imagem: Davi Valle


Sobre Nós

CNPJ: 35.582.297/0001-25

Jornalista Responsável

José Maria do nascimento

DRT: 0002633/MT


Contato

Ligue para nós



Mais Lidas

12 de junho de 2021

Oposição de Emanuel à Copa América e cobrança por vacinas repercutem no exterior

12 de junho de 2021

Oposição de Emanuel à Copa América e cobrança por vacinas repercutem no exterior

12 de junho de 2021

Oposição de Emanuel à Copa América e cobrança por vacinas repercutem no exterior