Atirador perde 70% da língua e recebe alta após 67 dias em uti

Fonte: Gazeta Digital, créditos da imagem: HMC/ Divulgação

O atleta de tiro esportivo, Juliano Rafael Wagner, 39, recebeu alta hospitalar na quinta-feira (06) após levar um tiro no rosto e passar 67 dias internado. Por conta do ferimento, ele perdeu 70% da língua. O homem estava em uma caçada de búfalos no dia 29 de março em São José do Xingu (1200 km a Nordeste de Cuiabá) quando foi atingido por uma bala e teve que ser transferido até a capital do estado.

O esportista, que chegou a ficar em 6° lugar na competição brasileira de tiro esportivo com revólver na categoria Overall em 2023, foi socorrido pelos amigos após o acidente.

Juliano é morador da zona rural de São José do Xingu e, após passar pelo pronto-socorro municipal e pelo Hospital Municipal de Confresa (1160 km a Nordeste de Cuiabá), foi transferido para o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) em 30 de março. Os recursos presentes no hospital da cidade e das regiões próximas não seriam suficientes para garantir sua sobrevivência. Já na Capital, o caçador passou 24 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) antes de ser liberado para uma enfermaria.

Desde que chegou a Cuiabá, o homem passou por 4 cirurgias que ocorreram na cabeça, pescoço, tórax e até a retirada de 70% da língua, que sofreu necrose causada pela lesão. Durante sua recuperação, Juliano passou por procedimentos de fisioterapia e fonoaudiologia.

 

HMC/ Divulgação

Juliano Rafael Wagner e equipe médica

Juliano Rafael Wagner equipe médica que o atendeu em Cuiabá

A gerente da equipe de enfermagem, Débora Chaves, que acompanhou a reabilitação, relatou ter testemunhado um milagre.

“O paciente Juliano veio da UTI 3 para as enfermarias no dia 24 de abril de 2024. Chegou usando sonda para se alimentar e restrito ao leito. Logo iniciamos um processo de reabilitação, acredito que a pior fase foi o momento em que houve o diagnóstico da necessidade da cirurgia de desbridamento da língua (estava necrosada). Foi um belíssimo trabalho de reabilitação promovido pela equipe multidisciplinar”, frisou a coordenadora.

A equipe do HMC realizou uma despedida para o homem que passou mais de dois meses no local. Agora, ele pode, finalmente, retornar para casa e para perto de sua família.

Comentários estão fechados.