“Democracia sem repressão”: Declaração de apoio eleitoral resulta em ameaças e B.O

- Publicidade -

Em um período eleitoral, quando se faz valer os direitos de um país democrático, onde o debate de ideias diferentes é salutar para o desenvolvimento do local, município, estado ou país, não cabe de forma alguma, atitudes repressivas, retrogradas, falta de respeito, ameaças e agressões.


Neste período, está sendo realizada uma eleição suplementar na cidade de Acorizal, envolvendo o nome de dois candidatos, que está movimentando a cidade, principalmente os eleitores em suas redes sociais, estaria tudo dentro da normalidade até que os limites das discussões foram ultrapassados, resultado em ameaças que originou no registo do Boletim de Ocorrência.

O B.O foi registrado por Luciene Arruda, que após aparecer concedendo entrevista, falando dos motivos que fizeram ela decidir pelo candidato Benna Lemes foi duramente hostilizada nas redes sociais, onde fizeram duras acusações e ameaças, o que originou no registro do B.O.

“Fica aqui a minha revolta, contra essas ações eu sou livre para escolher o candidato que eu quiser! Chega ultimamente estamos sendo massacrados por alguns integrantes da oposição, somos chamados de analfabetos, de lixo e agora sendo ameaçada”, desabafou em sua rede social, Luciene.

De acordo com informações dos participantes dos grupos das redes sociais, que envolve a questão política de Acorizal, o pessoas que apoiam o candidato Benna Lemes, desde as cogitações da disputa eleitoral, já vinham sendo vítimas de agressões verbais, onde já foram chamados de analfabetos “(malemá sabe lê)”, como também de lixo, e agora com ameaças.

“Luciene pede respeito e que todos façam valer os direitos da democracia”.

Para os apoiadores de Benna, o “clima” esquentou depois que a oposição percebeu o crescimento eleitoral de Benna, anunciado com a divulgação de algumas pesquisas, como também, através de várias declarações de apoio popular.

Hoje, a cidade de Acorizal passa por uma eleição suplementar, devido a candidatura irregular do político Meraldo Sá, que é investigado por várias denúncias de irregularidades com recurso público, sendo condenado e considerado ficha suja pela Justiça. Assim, Meraldo ganhou a eleição passada, mas não levou.

Na eleição suplementar, disputada pelos candidatos Benna Lemes contra Diego Taques, do grupo de Meraldo Sá e os ex-prefeitos, pelo que tudo indica, mesmo faltando poucos dias, ainda terá muito a que mostrar.

Fotos: Redes Sociais

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.