SEGURANÇA EXTREMA

João Batista visita PCE, fala sobre atuação de facções e lembra indicação destinada ao Governo

Unidade proposta pelo parlamentar seria destinada para líderes de facções criminosas e foi apresentada em julho do ano passado.
29 de outubro de 2020
João Batista

Após os recentes crimes ligados a facções criminosas instaladas em Mato Grosso, o deputado estadual João Batista do Sindspen (Pros), chamou a atenção do Poder Executivo para sua indicação n° 2992/2019, na qual mostra a necessidade de construção de uma unidade prisional de Segurança Extrema, no Estado de Mato Grosso.

O parlamentar, que esteve nesta última quarta-feira (28) na Penitenciária Central do Estado (PCE), conferiu de perto as ações desenvolvidas pelo novo diretor da unidade, Agno Ramos. Dentre as várias frentes de trabalho desenvolvidas na unidade, Batista destacou o “bloco especial de segurança extrema”, local que será destinado para os presos de maior periculosidade.

 “Apresentei uma indicação ao Governo do Estado em julho do ano passado exatamente com este fim, isolar os líderes das facções criminosas. Na PCE, tive a oportunidade de ver o inicio da obra que tem minha indicação como parâmetro. Vou acompanhar de perto passo a passo de todo o projeto, tendo em vista que esta iniciativa representa uma garantia de mais segurança para toda a população matogrossense”, disse o deputado.

Além do novo bloco que será destinado para os líderes das facções, o deputado teve acesso as novas unidades de “contenção monitoradas”, um espaço destinado para até quatro detentos, monitorados por câmeras de vigilância 24h.

“Uma das minhas maiores indignações é ver os apenados sem disposição para pregar um prego em uma barra de sabão, ou seja, uma tarefa que não dispõe de nenhum tipo de esforço. Fico feliz em visitar a PCE e ver que várias frentes de trabalho estão sendo desenvolvidas de forma simultânea. Parabenizo, em nome do diretor Agno Ramos, toda a equipe que atua diretamente na unidade”, disse.

Na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, o parlamentar disse que tem “inúmeras” iniciativas que vão ao encontro de tudo que está sendo aplicado na PCE. “Pregamos a diminuição dos gastos com a utilização da mão de obra da pessoa em cárcere, oferecer condições de trabalho dignas para os servidores e proporcionar o aparelhamento adequado para a manutenção dos trabalhos”, finalizou.

Deixe uma resposta

Curtir isso:

%d blogueiros gostam disto: