PMs suspeitos de planejar roubo vão responder na Justiça Comum

Sem BANNER

13 de novembro de 20203min
f10eac60cc6bd20f4c129f5da403fa9a

Grupo é acusado de planejar um assalto ao comitê; Corregedoria acompanha as investigações

A Corregedoria da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso afirmou que os policiais militares, acusados de integrar a quadrilha que planejava assalto ao comitê da candidata a vereadora Edleusa Mesquita (PSB), responderão pelo crime na Justiça Comum.

 

Os militares presos foram identificados como cabo Roney Petterson Silva Faria, 41 anos, soldado João Batista Silveira dos Santos, de 35 anos, e o soldado Valdir Maria do Nascimento, 30 anos.

 

Além dos policiais, foram presos Jackson de Almeida Pereira, 27 anos, e Samuel da Silva Pedroso, 38.

 

O grupo foi preso na madrugada desta quinta-feira (12) por agentes da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), no Bairro Jardim Vitória em Cuiabá.

 

Além de não responder pela Justiça Especial Militar, que tem competência para processar e julgar os crimes militares definidos em lei, os policiais envolvidos na tentativa de roubo terão sua conduta apurada também no âmbito administrativo.

 

A Corregedoria da PM do Estado também ressaltou que acompanhará as investigações sobre o caso que gerou a prisão dos policiais.

 

Relembre o caso

 

A quadrilha foi encontrada após a equipe da Rotam ser abordada por uma pessoa que informou que o grupo criminoso estava se reunindo em uma residência no bairro para assaltar um comitê da candidata.

 

A ação estaria sendo planejada para ocorrer na manhã desta quinta-feira (12).

 

Foi solicitado reforços e, em frente à casa, os militares abordaram um suspeito e encontraram em sua cintura um revolver calibre 38.

 

Durante a revista, os militares notaram uma movimentação dentro do imóvel e perceberam que o restante da quadrilha tentava fugir.

 

No local, a Rotam encontrou mais um revolver calibre 38, uma pistola calibre 40, uma arma calibre 380, uma espingarda de pressão calibre 5.5, seis camisetas da Polícia Civil, quatro coletes a prova de balas da Polícia Militar, três cintos de guarnição da Polícia, seis pares de placas balísticas, coldres de armas, binóculos, balaclavas e um escudo de ferro artesanal.

travoltajunior


Deixe uma resposta


Sobre Nós

CNPJ: 35.582.297/0001-25

Jornalista Responsável

José Maria do nascimento

DRT: 0002633/MT


Contato

Ligue para nós



Mais Lidas

23 de abril de 2021

PMs suspeitos de planejar roubo vão responder na Justiça Comum

23 de abril de 2021

PMs suspeitos de planejar roubo vão responder na Justiça Comum

22 de abril de 2021

PMs suspeitos de planejar roubo vão responder na Justiça Comum